quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Here, There And Everywhere


30 Years.

Plano espiritual, céu, inferno, não importa o termo usado, mas John Lennon não está mais entre nós. Não existe a necessidade de fazer uma descrição dizendo quem Lennon era. Gerações, o mundo não o esqueceu, se perguntar a uma pequena criança quem é John Lennon, provavelmente ela saberá te responder, isso se chama reconhecimento.  

Década de 60, o mundo virou de pernas pro ar. O fenômeno do Fab4 era imenso e inegável. Músicas que falavam de amor, ritmo contagioso, carisma eminente estampado na face dos integrantes, não só na face, no cabelo, nos modos de vestir, tanto é que ditaram moda. A ambição de ser músico, pode se dizer que foi ai que tudo começou.


She loves you, yeah yeah yeah. Trechos como estes emanavam até de estádios. Chega de falar sobre Beatles, aliás, tentativa falha, será que existe a possibilidade de não associar John Lennon aos Beatles? Banda na qual ele mostrou muito de sua personalidade forte, alguns diziam que ele era louco, outros diziam que ele era gênio, ele dizia de si próprio que todos o chamavam das duas coisas, mas a diferença era que ele nunca tinha sido internado. De uma maneira oculta, seu convencimento entre esse trecho apesar de parecerem totalmente corretos pois eu o acho um gênio, era uma forte característica dele, egoísmo também. Apenas excelente músico, personalidade, não um Deus, é permitido defeitos. 

Defeitos a parte, sua genialidade não estavam só nas composições Lennon/McCartney e em suas piadas elaboradas. Ou mobilizar o mundo inteiro com protestos e fazer o governo de um país ter raiva dele e até cogitarem que o mesmo foi a cabeça por trás de seu assassinato é coisa para leigos? Influenciou não apenas a música por toda sua existência, suas palavras fizeram efeito, foi de um sucesso tão grande, que não consigo compará-lo com nenhuma pessoa nesse quesito.


Não poderia fechar o assunto de influências e poder que ele teve sobre suas afirmações sem mencionar o "We're more popular than Jesus now". Qual a chave para todo esse sucesso? Seria o sucesso o principal objetivo de John? Dentre tantas perguntas que minha mente não me permite elaborar agora, uma martela a minha cabeça a tempos, me colocando em posições de criar teorias, e pensamentos, e discutir com amigos: E se John Lennon estivesse vivo até hoje? Óbvio que eu não vou entrar nesse assunto, até porque não quero me exceder, e sei que eu desenrolaria várias linhas sobre esse assunto.

"Amo a liberdade, por isto deixo as coisas que amo livres. Se elas voltarem é porque as conquistei; se não voltarem é porque nunca as possuí." 
Tentei deixar esse post o mais branco possível fazendo até edição nas imagens, porque esse post não é sobre  luto, e sim sobre vida, uma vida que se for pelo menos parecida com a da pessoa mencionada nesse post, faria dela uma vida melhor.


Queria eu poder trazê-lo de volta a vida para nos tirar uma foto, e comunicar ao mundo que a guerra está acabada. Nada comparada com a do Vietnã, mas a guerra que travamos para conseguirmos a paz.